OLHE QUE NÃO

olhequenao.wordpress.com

Posts Tagged ‘Movimento Social’

TOCA A COLOCAR NA AGENDA

Posted by J. Vasco em 30/09/2012

Atenção: começa já amanhã

Posted in Grupo de Estudos Marxistas | Com as etiquetas : , , , , | Leave a Comment »

INTRODUÇÃO DO MARXISMO EM PORTUGAL

Posted by J. Vasco em 27/09/2012

O Grupo de Estudos Marxistas, em parceria com a Biblioteca-Museu República e Resistência, organiza durante o mês de Outubro um ciclo de conferências sobre a introdução do marxismo em Portugal. As sessões realizam-se todas as segundas-feiras entre 1 e 22 de Outubro, às 18h30. A entrada é livre. No Espaço Grandella, Estrada de Benfica, 419.

PROGRAMA:

1ª sessão – 1 de Outubro. Manuel Dias Duarte – «Das origens ao início dos anos 20».

2ª sessão – 8 de Outubro. João Arsénio Nunes – «Carlos Rates e Bento Gonçalves»;
                                     Domingos Abrantes – «Dos anos 30 em diante».

3ª sessão – 15 de Outubro. Manuel Dias Duarte – «Bento de Jesus Caraça».

4ª sessão – 22 de Outubro. Carlos Bastien – «Armando Castro».

Posted in Armando Castro, Bento de Jesus Caraça, Bento Gonçalves, Carlos Rates, Grupo de Estudos Marxistas | Com as etiquetas : , , , , | Leave a Comment »

QUE NINGUÉM FIQUE EM CASA

Posted by ines f. em 18/06/2012

Posted in *, Acordai! | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »

A PRODUTIVIDADE, ORA AÍ ESTÁ…

Posted by qmiguel em 17/01/2012

Aí está a “prenda no sapatinho” do capital. Como se nos tempos que correm fosse coisa que rareasse. A musica acaba e as tombam as mascaras: um trabalhador deve dispor do mínimo poder possível sobre a sua vida, não servisse a sua existência apenas para que lhe seja sugado o fruto do seu trabalho.

Férias é coisa para quem dispõe de capital, para os proprietários, esses sim poderão ser livres, cada vez mais livre de sugar o trabalho alheio. Uma jorna organizada onde  procuramos encaixar, entre as fatigantes horas de exploração, um tempinho para estarmos com os nossos é coisa  que não deve depender de quem trabalha para que outro amealhe.  Afinal só precisamos de descansar para “recuperar física e psicologicamente” para que amanhã, ou dentro de 5 minutos, a exploração possa continuar.

Pois sim terão por certo todos os direitos formais, até o de dizer que não, mas nunca em conjunto digamos que de uma forma mais “dinâmica” através de “estruturas para o efeito”, até porque o direito ao seu posto de trabalho passa a estar dependente do mero e unilateral apetite do patrão, que terá apenas que formalmente explicar de que forma alguém é inadaptado, isto quando não lhe apetecer simplesmente extinguir o posto de trabalho em questão (até porque já pode haver outro de “conteúdo funcional idêntico”), nada que nos preocupe pois haverá sempre um “critério relevante”. O “critério relevante”, “estruturas representativas”, “dinamização”, são as novas denominações da mais pura repressão social.  Estamos todos às ordens e a lei é conforme…

Total liberdade, mas liberdade para despedir, para reprimir, para explorar. Nenhuma liberdade para quem produz. Em nome de uma crise para a qual o sistema capitalista não oferece nenhuma possibilidade de superação.

Hoje mais que ontem, uma barricada só tem dois lados.

Posted in *, A quem a trabalha, Acordai!, Crime, Greve Geral, Sindicatos | Com as etiquetas : , , , , , , , , | Leave a Comment »

MAIOTE A FERRO E FOGO

Posted by qmiguel em 20/10/2011

Na ilha de Mayotte (território francês ao largo de Moçambique) a população local é vitima da mais vil especulação capitalista. As grandes superfícies comerciais inflacionam o preço dos mais basicos produtos alimentares atirando um povo inteiro para a mais negra fome e miséria. Os alimentos mais básicos num Carrefour, Casino, ou Intermarché da ilha podem chegar facilmente a 3 ou 4 vezes o preço do mesmo produto numa superfície da mesma empresa em Paris!.

Após sucessivas greves gerais, e votados à mais ignóbil ignorância por parte dos media e da classe política burguesa da “metrópole” (que tem “falhado” no seu papel de “mediador” entre grandes comerciantes e populações), o movimento entra hoje no seu 24º dia. O clima de guerra civil instala-se a pouco e pouco na ilha (barricadas, confrontos com as autoridades, retaliações…). Durante a noite a polícia e seguranças privados defendem os hipermercados da fúria de uma multidão esfomeada (tendo o governo francês  mobilizado ja parte do exército para a região). A economia da ilha encontra-se devastada pelas sucessivas políticas neo-liberais e anti-populares.

Sarkozy estará concentrado no seu mais jovem rebento, e o PS, mais preocupado com o acelerar das medidas de austeridade, lançou apenas um breve apelo à calma.

Entretanto o povo de Maiote passa fome e sai à rua…

Posted in França, Greve Geral, Imperialismo, Maiote, Mayotte | Com as etiquetas : , , | Leave a Comment »