OLHE QUE NÃO

olhequenao.wordpress.com

Archive for 18 de Dezembro, 2010

HEROES VERSUS ZEROS

Posted by * em 18/12/2010

Nós temos Che Guevaras, temos lutadores contra a exploração do homem pelo homem… e o que têm eles?

Eles têm “heróis” como o gambá Eltsin, entupido de vodka e corrupção até ao tutano, defensor acérrimo dos exploradores… Hamids Karzais de vários graus de putrefacção, defensores dos exploradores, serviçais recheados de frutos da corrupção até à medula… “heróis” como o Hashim Thaçi, do “grupo de Drenica”, elevado a primeiro-ministro do Kosovo, que matava Sérvios para traficar órgãos humanos…

A nível mais doméstico, eles têm como “heróis” os carreiristas bandidescos do  PS-D e os fascistas do PP que sabem como ninguém fazer pela vidinha, têm desde Dias Loureiros a Limas Duartes, ora envolvidos em roubalheiras, ora envolvidos em casos mais sérios… ou seja, gentalha com quem o amanuense Silva se identifica e a quem ajuda e promove, os seus amigos do peito.

Nós temos Álvaro Cunhal, figura de dimensão universal… eles têm um tal de Carneiro de Sá , quer dizer, um Sá Carneiro (acho que é esse o nome), um labrego e beato membro do partido Salazarista  que só criou um partido  de oposição ao fascismo depois do fascismo acabar, um oportunista que tentou a todo o custo evitar o avanço 25 de Abril, um insecto que… também deu nas falas por causa do envolvimento em corrupções e coisas afins, ora quem diria! Escrevem e escrevem sobre ele, tentando transformar cada suspiro seu numa prova de insatisfação para com o regime ao qual estava intrinsecamente ligado e de cujo derrube soube pelos jornais. Um “herói” que nem aqui ao lado, na Espanha, é conhecido. Vêem-se na necessidade de valorizar o tipo pela maneira como se vestia, pela maneira como “sabia estar” e com quem dormia, como sabia segurar nos talheres… ridículo!

Mas parabéns! Cada classe tem os heróis que merece!

 

Posted in FIGURAS | Leave a Comment »

UM HOMEM E ALGO DIFERENTE

Posted by * em 18/12/2010

1)   Acima temos um homem, um homem que viveu envolto pela cultura, que a acarinhou e criou um programa que fazia já parte da identidade cultural portuguesa. Um homem do qual qualquer país poderia orgulhar-se. Um homem.

2)   Aqui abaixo vemos um marginal, um dejecto que irrompeu pelo mundo da cultura pela porta do poder, um monte de esterco do qual qualquer país se envergonharia. Mas é um flato que tem o poder económico e político a seu lado. E voltará usar esse poder para derrubar homens como Carlos Pinto Coelho e qualquer outro que lhe faça lembrar o mundo humano do qual se afastou há muito, perdido que ficou no nevoeiro dos ringues onde estúpidos se agridem, nas ruelas mal iluminadas por onde andou, nos salões onde aprendeu a lamber o traseiro dos ricos.

Posted in Carlos Pinto Coelho | Leave a Comment »