OLHE QUE NÃO

olhequenao.wordpress.com

Archive for 19 de Agosto, 2010

SEI DE UM RIO

Posted by J. Vasco em 19/08/2010

Camané em grande. Poema de Pedro Homem de Mello, música de Alain Oulman, produção de José Mário Branco, vídeo de Bruno de Almeida.

Sei de um rio
sei de um rio
em que as únicas estrelas
nele sempre debruçadas
são as luzes da cidade

Sei de um rio
sei de um rio
rio onde a própria mentira
tem o sabor da verdade
sei de um rio

Meu amor dá-me os teus lábios
dá-me os lábios desse rio
que nasceu na minha sede
mas o sonho continua

E a minha boca até quando
ao separar-se da tua
vai repetindo e lembrando
sei de um rio
sei de um rio

Sei de um rio
até quando

Posted in Camané | Com as etiquetas : | Leave a Comment »

UMA VIAGEM À CHINA

Posted by J. Vasco em 19/08/2010

«O “século das humilhações” da China (o período que vai de 1840 a 1949, a saber, desde a primeira guerra do ópio à conquista do poder pelo PCC) coincidiu historicamente com o século da mais profunda depravação moral do ocidente: guerras do ópio com a devastação infligida a Pequim no Palácio de Verão e com a destruição e pilhagem das obras de arte que continha, expansionismo colonial e recurso a práticas esclavagistas ou genocidas em detrimento das “raças inferiores”, guerras imperialistas, fascismo e nazismo, com a barbárie capitalista, colonialista e racista que atingiu o auge. Da forma como o ocidente souber encarar o renascimento e o regresso da China, poderemos avaliar se ele está decidido a fazer realmente as contas com o século da sua mais profunda depravação moral. Que pelo menos a esquerda saiba ser o intérprete da cultura mais avançada e mais progressista do ocidente!»

Ler aqui, na íntegra, um muito interessante artigo do filósofo italiano Domenico Losurdo, traduzido para português a partir do original publicado no seu blogue. Tem o inegável mérito de trazer para a boca de cena a complexidade do processo chinês. O inegável mérito de fazer pensar.

Posted in China, Domenico Losurdo | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »