OLHE QUE NÃO

olhequenao.wordpress.com

Archive for 22 de Abril, 2010

UM INEVITÁVEL ENCONTRO COM LÉNINE

Posted by J. Vasco em 22/04/2010

«Esta semana um ex-soldado norte-americano afirmou “Os Estados Unidos enviam trabalhadores pobres do seu país para lutarem contra trabalhadores pobres de outros países, beneficiando grandes empresas norte-americanas que lucram com a guerra». Este homem não conhecerá o termo internacionalismo proletário, nem terá estudado a luta ideológica entre reformistas e internacionalistas sobre o posicionamento do proletariado perante a I guerra, luta que marcou o apodrecimento da II Internacional e o nascimento da III. Nem conhecerá o papel de Lénine nessa luta, nem a importância que teve para o eclodir da revolução de Outubro. Nada disso o impediu de ganhar consciência da luta de classes, e de se aproximar de um inevitável encontro com Lénine.».

Posted in Encontro com Lénine | Com as etiquetas : , | 1 Comment »

ACORDAI!

Posted by J. Vasco em 22/04/2010

Acordai, de Fernando Lopes Graça e José Gomes Ferreira. Aqui, versão do Grupo Coral de São Domingos, numa produção de Samuel para o Cine-Teatro Curvo Semedo, em Montemor-o-Novo, por ocasião das comemorações do 25 de Abril do ano passado.

O 25 de Abril está à porta. Para milhões de pessoas, foi uma época de despertar e de acordar para a vida social e política, imprimindo rápidas e profundas transformações na sociedade portuguesa. Acordar, acordar sempre!

 

Acordai
acordai
homens que dormis
a embalar a dor
dos silêncios vis
vinde no clamor
das almas viris
arrancar a flor
que dorme na raiz
 

 

 

Acordai
acordai
raios e tufões
que dormis no ar
e nas multidões
vinde incendiar
de astros e canções
as pedras do mar
o mundo e os corações
 

 

 

Acordai
acendei
de almas e de sóis
este mar sem cais
nem luz de faróis
e acordai depois
das lutas finais
os nossos heróis
que dormem nos covais
Acordai!

Posted in José Gomes Ferreira, Lopes-Graça | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »

A TERRA A QUEM A TRABALHA

Posted by J. Vasco em 22/04/2010

Na sequência das conquistas da revolução de Abril, há 35 anos começou essa saga bela e carregada de futuro chamada Reforma Agrária. A um só tempo, foi um passo em direcção ao socialismo e a machadada decisiva nas relações feudais ainda subsistentes no campo. Aumento da produção e do número de explorações agrícolas, renovação dos obsoletos instrumentos de trabalho, liquidação do desemprego em freguesias inteiras, conquista, pela primeira vez no campo, de direitos colectivos e individuais e de contratos de trabalho – eis alguns dos feitos de um processo emancipador, erguido, mantido e desenvolvido pelos proletários agrícolas do Alentejo. Os agrários, claro, moveram-lhe uma luta sem quartel, uma luta de vida ou de morte. Contaram para tal com o poder de Estado, esse «aparelho especial para a repressão de uma classe por outra classe». Infelizmente, nos momentos agudos da revolução, a correlação de forças a nível político e militar não correspondeu à dinâmica social que atravessava as relações de produção na formação económico-social portuguesa. Hoje, depois da contra-revolução iniciada com a Lei Barreto, o arame farpado e o desemprego estão de volta aos campos alentejanos.

A TSF decidiu pôr no ar uma reportagem sobre os acontecimentos de há 35 anos, entrevistando vários dos seus protagonistas. Podemos ouvi-la hoje, pouco depois das 19h00, sexta, depois da 01h00, e sábado, depois das 13h00.

Posted in A quem a trabalha | Com as etiquetas : | 2 Comments »