OLHE QUE NÃO

olhequenao.wordpress.com

Archive for 31 de Março, 2010

LEITURA OBRIGATÓRIA

Posted by J. Vasco em 31/03/2010

Vejam, vejam aqui o que o Samuel foi desencantar. Leitura mais do que obrigatória. Muito instrutivo, muitíssimo instrutivo.

Obrigado, Cantigueiro!

Anúncios

Posted in * | Leave a Comment »

FORÇA COMPANHEIRO VASCO – NOS 35 ANOS DA CRIAÇÃO DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO

Posted by J. Vasco em 31/03/2010

Faz hoje 35 anos que o IV governo provisório (26 de Março de 1975 – 8 de Agosto de 1975), chefiado por Vasco Gonçalves, criou em Portugal o subsídio de desemprego (o mesmo Vasco Gonçalves que, à frente de outros governos provisórios, criou também o salário minímo, o subsídio de férias e o subsídio de natal). Para a vida de muitos milhares de portugueses em situações sociais desesperantes, é ainda, face ao persistente desemprego, o único e magro provento com que contam, resultado dos seus descontos e não, como os propagandistas neoliberais querem fazer crer, benesses do estado ou destemperamento orçamental. A medida da sua força, nos dias que correm, pode ser avaliada, simultaneamente, em dois tabuleiros: é encarado naturalmentecomo o ar que se respira, como se não tivesse história, por grande parte da população; e é alvo dos maiores ataques (no limite: para o liquidar) por parte dos partidos da burguesia.

A sua implementação foi possível porque havia, obviamente, um governo provisório, na sua geometria variável, vinculado à luta dos trabalhadores, ao seu objectivo socialista, e com força política bastante para avançar com ousadia e firmeza. Mas foi fundamentalmente porque o movimento de massas se desenvolvia e arrancava conquistas democráticas aos exploradores, nomeadamente com as nacionalizações dos sectores-chave da economia, que o governo provisório pôde actuar desse modo. Uma lição para o futuro.

Posted in Vasco Gonçalves | 14 Comments »

GIOVANNA MARINI

Posted by J. Vasco em 31/03/2010

Infelizmente, o ímpar trabalho que o corso Michel Giacometti realizou em Portugal é ainda hoje pouco conhecido – e por isso nada acarinhado. A minúcia, o amor e a paixão com que se lançou à recolha das canções que acompanhavam o quotidiano popular foram as marcas de um trabalho pioneiro que desgraçadamente não teve seguimento.

Giovanna Marini, em Itália, sua terra natal, dedicou-se também à recolha e ao tratamento das canções de tradição oral do seu povo. Essas canções de luta e de trabalho, de festa e de esperança, de resistência e de angústias, formaram o corpo de um Novo Cancioneiro Italiano, por si criado.

Giovanna, com formação em guitarra clássica, inventou mesmo um sistema de notação musical na base dessas canções de tradição oral. Colaborou com vários intelectuais da esquerda italiana, como PasoliniFo ou Calvino, entre outros. 

Como se pode ler aqui, no seu site oficial (ao qual se recomenda vivamente uma visita), «em 1964 Bella Ciao, espectáculo de canto político e social, realizado em Spoleto com grande escândalo face a um público muito chic e pouco habituado, deu-lhe a possibilidade de cantar e de recolher cantos populares pela Itália inteira».

Quem não a conheça, deve passar a conhecê-la. Quem já a conhece, que continue a acompanhar o seu trabalho sério, dedicado, longe dos holofotes do mercado, e de grande, de enorme, qualidade.

 

Aqui, Canti di lotta e di lavoro, excertos de entrevistas, de canções e de concertos:

Aqui, a célebre canção Partono gli emigranti, cheia de dolência e ao mesmo tempo de firmeza:

Posted in Giovanna Marini | Com as etiquetas : | 1 Comment »