OLHE QUE NÃO

olhequenao.wordpress.com

FIGURAS, FIGURINHAS, FIGURÕES

Posted by * em 14/02/2010

 

Aviso: este é um post de ficção.

Qualquer semelhança com a realidade, seria mera e indesejável coincidência, uma vez que, como é fácil observar, nada há em comum com o que sabemos ser a realidade.

 

 

O “GÉNIO DA BANALIDADE”

Nenhuma ideia original, por mais tímida que tenha sido, aflorou daquele encéfalo…o máximo que fez foi citar outros mais capazes. Fora do país, quase ninguém da sua especialidade conhece uma ideia sua enquanto economista, no seu ramo de “investigação” este amanuense é um zero à esquerda. Haverá alguma colectânea ou enciclopédia estrangeira da especialidade em que apareça o seu nome? Claro que não, embora ele se esforce por aparecer como uma sumidade quase interplanetária. Como é fácil enganar os simples do condado…

Faz lembrar, de tão parecido, o Mr. Chance (Peter Sellers), do filme Being There (Com os nomes “Bem-vindo Mr. Chance”, em Portugal e “Muito além do jardim”, no Brasil”), de 1979. Neste filme, um jardineiro, cuja parca inteligência era apimentada por uma vasta ignorância, passa a ser visto por todos como um génio, de tal modo, que até os seus silêncios são considerados geniais. Qualquer observação sua acerca do estado do tempo ou das plantas do jardim é escrutinada ao pormenor, fazendo adivinhar mil e um segundos sentidos (muitas vezes incompreensíveis para o próprio Mr. Chance) acerca das questões mais prementes com que a humanidade se defronta. Claro que começa a subir pela escada do poder, influenciando decisões políticas ao mais alto nível.

Como referido, o Mr. Chance de Portugal, o senhor Gardener luso, gosta dos silêncios e tabus. Nutre-se deles por ter visto que funcionava este baixo truque de marketing político e também para travestir de grandiosidade a sua pequenez, para evitar mostrar o quão oco é. Nos tabus ele junta o útil ao agradável. Quando fala, é apenas para, com ar circunspecto, ponderado, como se estivesse a proferir uma verdade nova, fruto de cogitações prolongadas… dizer uma qualquer trivialidade. Este actor apenas se sente em casa quando repete as suas banalidades. Segue escrupulosamente a máxima de Homer Simpson: “Nunca digas qualquer coisa a não ser que tenhas certeza que todos pensam o mesmo”.

Este ser plastificado evita falar de modo explícito, tanto por calculismo, como por não ter ideias originais. Gosta de apelar, com ar solene (ar estudado, ensaiado),  aos velhos e rasteiros embustes mil vezes repetidos pelos ideólogos burgueses mais abjectos: gosta, por exemplo, de mascarar, através de elogios à “autonomia”, “liberdade”, “iniciativa”, etc., a defesa da desresponsabilização do Estado, a apologia da luta de todos contra todos, o elogio ao “Laissezfaire”. Afinal, a sua noção de responsabilidade social do Estado cinge-se ao que aprendeu nos bancos escolares da escola salazarista acerca da bem-aventurança da caridadezinha cristã, acerca da necessidade de apoio aos menos favorecidos. Não aprendeu mais, só pode repetir o que aprendeu.

Devido à sua banalidade crónica, uma entrevista com ele levaria ao resultado mais tedioso do mundo, a não ser para os que se maravilham com a banalidade:

“- O que o Sr. Doutor deseja para Portugal?

– Desejo um Portugal mais desenvolvido, é desejável que Portugal se desenvolva.

– E além disso?

– Desejo um País mais culto, ao nível dos demais países europeus.

– E, já agora, um Portugal mais justo e solidário?

– Sim, devemos fazer de Portugal um país mais justo e solidário.

– E não acha que cada um deve dar a sua contribuição?

– Cada português pode e deve dar a sua contribuição para melhorar o país…

– AARRGGHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!…………………..

Ah, como qualquer político de direita, está sempre disposto a atraiçoar os seus em nome da carreira…

O “GELATINA”

Nenhuma profundidade…e o mais desavergonhado oportunismo e maquiavelismo político provinciano. Delicia-se com o próprio umbigo. Ocupa-se pessoalmente, de modo quase patológico, da publicidade adamastorenha aos seus feitos (desde as acertadas decisões tomadas e previsões confirmadas, até ao facto de quase não dormir, à leitura de centenas de livros por dia e noite e muito, muito mais, que o homem é um deus na terra, se duvidar, pergunte-lhe  que ele, humildemente, confirmará). Deleita-se com as  suas acrobacias argumentativas em defesa dos exploradores, habilidades retiradas da lista de falácias dos manuais de retórica dos tempos de estudante. Tem uma tal obsessão  pela manipulação ideológica, que não apenas a exercita constantemente (para não perder o jeito), mas também tenta difundir as  suas “técnicas” fundamentais. Assim, explica todo e qualquer desaire dos exploradores como um “problema de comunicação”. Dá a entender, de um modo inacreditavelmente descarado, que (havendo força política e sabendo aproveitar o kairos) pode ser levada a cabo qualquer política reaccionária, desde  que se saiba como “fazê-la passar”. Adora  apresentar, de modo redutor e  deturpador, fenómenos complexos como se fossem fenómenos comezinhos, do quotidiano. Recreia-se, por exemplo, a comparar o funcionamento da economia (fenómeno complexo e em que há exploradores e explorados), ao dia-a-dia de uma família (fenómeno essencialmente distinto), a comparar questões políticas com questões futebolísticas, etc. Cumpre afincadamente a sua função pública de “redutor cultural”, desobrigando o filisteu da necessidade de conhecer e de pensar pela própria cabeça. Ao nível de uma conversa de cozinha, “explica” o que qualquer esporádico leitor de jornais saberia (desde o que de mais noticiado vai acontecendo no país, até coisas ignoradas como o facto de da Espanha ser uma monarquia e Dublin ser a capital da Irlanda). Pelo meio, vai dando receitas, que podem ir de como beber vinho do Porto a como curar unhas encravadas. Como os ingénuos  sorvem, gota a gota, cada iluminada palavra sua (como se ela fosse um mantra que fizesse claro o que até aqui era nebuloso) torna-se, este  oportunistazito, ele próprio, um facto político….não porque faça análise política com o mínimo de profundidade, mas pela sua influência sobre os pacóvios. Com estas qualidades todas, tem futuro. Pode até chegar a presidente.

O “PAI”

O seu erro foi pensar, preso no seu egocentrismo e vaidade, que tinha alguma importância própria. Não percebeu que foi apenas um alarve, ufano e carlucciano brinquedo de quem manda no mundo, instrumento que, ao deixar de ser útil, evidenciou o seu real valor…

(Essas coisas são sempre constrangedoras, até para quem discorda da pessoa)

O PALHAÇO DA ILHA

Está para o Ser Humano como o Zé cabra está para Mozart. É um bandido vulgar, porco, ordinário, com negócios e interesses e tendências tenebrosas. Quando cair, deixará os seu acólitos no seu lugar. Quando estes, por fim, caírem também, talvez… aos poucos…se comece a descobrir a podridão escondida…e muitos dos eternos inocentes que hoje o elogiam dirão, admiradíssimos, alguns até estarrecidos:

“- quem diria, não? -Sim, quem diria que isto acontecia!!!”

O FASCISTAZINHO

Menino bem, penteado à Hitler (só falta o bigodinho), carinha lavada, gosta dos fortes, de repetir que é de direita, e de fazer pose de adulto e sério e poderoso, de visitar esquadras e quartéis. Também gosta do dinheirinho e do luxo, tendo de se conter para não dar asas a esse desejo, que lhe pode prejudicar a carreira (o que nem sempre consegue, tamanha é a vontade). Este Haider luso, que não tem vergonha da demagogia populista mais rasteira, é o que os brasileiros chamariam um verdadeiro cara-de-pau (descobriu que ser cara-de-pau é importante para subir na vida e na política). Não se inibe, sequer, de furtar documentos secretos do Estado, coisa que, em outro país, lhe garantiria, no mínimo, largos anos de prisão. Ele não se importa, tem amigos, sabe segredos, tem cordelinhos para mexer. O importante é crescer e ter sucesso. Engole a saliva, mas lá vai asinha, boininha comprada para o efeito, pelas feiras, passinho rápido, alvos dentes, olhar à cata das câmeras, beijar e abraçar airosamente quem despreza. A sua capacidade cognitiva resume-se ao famoso esquema 1-2-3: “Portugal tem 3 problemas: primeiro…; segundo…; terceiro…” e lá vai ele desfiando o velho esquema superficial, contado pelos dedos, cada coisinha na sua gavetinha, para não confundir nem se confundir, truque mil vezes repetido para gáudio dos simples. Pensa através de esquemas, factores e linhas vectoriais com setinhas, o que, se não garante profundidade, pelo menos garante clareza. Outro dos truquezinhos que descobriu foi o do que atrelando o partido a tudo o que acontece, aumenta as hipóteses de o nome do mesmo ficar gravado nas mentes. Assim, liga tudo o que for possível, insistente e recorrentemente, à repetição infinita do nome do partido. Tudo o que acontece no país, desde o mudar das estações ao mais ínfimo acontecimento nos corredores da assembleia, acontece em função do seu partido, contra o seu partido ou por obra e graça do seu partido, o Universo inteiro é uma confirmação da justeza da linha do seu partido. Não se importa em repetir Ad infinitum este truquezinho demagogo à frente de todos, quantos mais melhor, que vergonha é coisa que aprendeu a vencer, em prol da carreira. E lá vai ele, carinha lavada, mais uma vez enumerando: “o meu partido defende quatro coisas: primeiro…”

Obs:

Esta lista de caracterizações pode levar a pensar que somos uns meros aprendizes na patriótica, difícil e elevada arte da “fulanização”. É verdade que há experientes professores nestas lides: PSD, PP e PS não fazem outra coisa. Nada de críticas de fundo entre eles, nada de crítica séria entre estes partidos “da esfera da governação”, apenas esgrimem críticas conjunturais e pessoais, não vá o diabo tecê-las. Podem fazer correr rios de tinta apenas para tratar de casos de alguém que disse que alguém disse que alguém ouviu que alguém teria dito. É verdade que esta obsessão pela conjuntura, versão política dos mexericos da imprensa rosa (ou laranja), separa a mentalidade de direita da mentalidade de esquerda. O que, fundamentalmente, preocupa PSD, PS ou PP, é saber quem deveria estar no poder. A direita, como direita que é, não consegue ir além desta mentalidade tacanha (quem quer explorar, tem de aceitar ser pouco profundo).

Apesar de dever conhecer bem a plêiade de personagens ilustres da vida nacional, a esquerda não deve ficar por aí, pela crítica pessoal, pela simples “fulanização”, pela abordagem apenas conjuntural. O que importa mesmo é mudar a política numa estratégia fundamentada no conhecimento da lógica do processo histórico. E isto numa perspectiva não apenas local ou nacional mas também mundial.

A “fulanização” é coisa pouca. A ideia acerca do seu poder corrosivo é largamente exagerada. As críticas  meramente pessoais são até uma maneira eficaz de justificar a política de quem se critica: para “resolver” os problemas bastaria ter uma pessoa honesta, idónea, credível. Bastaria mudar as moscas…

 

 

 

Anúncios

11 Respostas to “FIGURAS, FIGURINHAS, FIGURÕES”

  1. Olinda said

    Bem vindo à blogosfera!

  2. […] DESEMPREGOEM TEMPOS DE TGV, VAMOS RECORDAR SATYAJIT RAYCRÓNICAS A METROPS E PSD: PARTIDOS COLAÇOSFIGURAS, FIGURINHAS, FIGURÕESO GRANDE LEGADO DE SÁ-CARNEIROPLANETA ÁGUA « O FUTURO […]

  3. […] de entradas: estas são apenas AS DUAS PRIMEIRAS: uma de 2007, outra de 2009. Mas claro que o carinha lavadinha não tem nada de nada a ver com o assunto, claro que não, claro que não, que não, que não, que […]

  4. […] génio da banalidade decidiu usar o sagrado 25 de Abril para os seus interesses pessoais, para o arranque da sua […]

  5. […] Génio da Banalidade também foi igualzinho a si próprio: do ar beato e apalermado com que representou Portugal nas […]

  6. […] movida por interesses egoístas,  presta homenagens falsas, hipócritas. O Amanuense Silva, o senhor Chance, já cantara “grândola vila morena”, já permitira o casamento homossexual. É […]

  7. […] portugueses conscientes  certamente sentirão o mesmo, todas as semanas, após ouvirem o gelatina dar os seus velhos conselhos de serpente manhosa e maldosa com aquele ar de menino de coro, pessoa […]

  8. […] POR CANTARÁGUAS QUE O VERÃO FECHAMKSENIYA SIMONOVA«VAI SER UMA GRANDE LUTA»NOS PIQUETESGRATIDÃOFIGURAS, FIGURINHAS, FIGURÕESFORÇA COMPANHEIRO VASCO – NOS 35 ANOS DA CRIAÇÃO DO SUBSÍDIO DE […]

  9. janciron said

    Injustiça sociais



    No Brasil, pagamos pelo combustível quase o triplo do valor que paga o cidadão dos países vizinhos, onde nem um poço de petróleo tem; com a diferença, de que compramos “combustíveis” adulterados, e eles puro! Mesmo sendo os donos do petróleo, como ostentam por ai, somos obrigados a pagar por ele, o preço mais caro do mundo! Já pensou se não fôssemos os donos?
    Esta é a justiça social, tão prometida e cantada em versos e prosa, pelos candidatos em vésperas de eleição?
    Notem que nossos representantes políticos são os mais bem pagos do mundo! A questão, é que não se contentam; além de terem altos salários, cheios de exorbitâncias e de mordomias principescas, para fazer nadica de nada, ainda exercem variados cargos; todos ao mesmo tempo; tem direito a varias aposentadorias, e ainda superfaturam, como no caso das ambulâncias, e das merendas escolares, onde davam lixo para as crianças! Enfim daria um livro, se fossemos citar os milhares de escândalos que conhecemos!
    E o pior, é que continuam impunes, sem devolver um centavo daquilo que roubaram dos cofres públicos; pois além de terem a lei de imunidade para acobertá-los; dominam o cabide de empregos, onde funcionários públicos estão escalados para limpar suas barras! Feito o Juiz, que deu a liberdade ao banqueiro bandido Daniel Dantas, e puniu o Delegado de policia que o prendeu: Mas lógico, foi uma troca de favores; uma mão lavou a outra; e a corda arrebentou pelo lado mais fraco! Só que esta história não terminou, ainda tem muita lenha para queimar!
    Mas vamos em frente: Notem que antes de terminar seu mandato, Lula promoveu o Juiz que liberou o sócio do seu filhinho genial, que após fazer a sociedade, e embolsar milhões, passou a pousar de empresário bem sucedido, fazendeiro e bilionário! Mas o estranho é que, o garoto só se tornou gênio, depois que o pai se elegeu; antes ele era um simples empregado assalariado, em um Zôo em SP… Notaram este detalhe? Pois bem: Esta deve ter sido uma das promessas que Lula cumpriu! Outra deve ter sido feita aos seus amiguinhos, que defendem o Italiano assassino! Pois este também ganhou cidadania, talvez seja indenizado e até ganhe uma aposentadoria por ter ficado preso no Brasil! Por isso não tem verbas para dar o aumento digno aos aposentados, não tem para a saúde, não tem para a educação! Mas estamos vendo que os corruptos têm muita facilidade em criar bodes expiatórios para assumir a responsabilidade por suas culpas! É só contatar a mídia; e com sensacionalismo armar bem os policiais, dar uma volta pela periferia, ou então subir nos morros; invadir residências e apresentar para a sociedade meninos descalços e sem camisas, que aparentemente não tem nem o que comer; e dizer que estes são os responsáveis pelo aumento da criminalidade, da violência e trafico de droga!
    São poucos entre a sociedade e entre os policiais, a notar que as vitimas deste sistema enganoso; estão sendo jogados uns contra os outros, para fazer joguinhos sujos e promíscuos; e defender o câncer político, responsável pelo verdadeiro crime organizado, pela injustiça social e pela violência, que permanece enraizada nas entranhas do país!
    Esta história é antiga; e os verdadeiros responsáveis; são aqueles que para se elegerem prometem milhões empregos, prometem casas populares, prometeram justiça social e justa distribuição de renda; e depois de eleitos, se tornam bilionários da noite para o dia, extorquindo a sociedade com altas taxas tributarias, e defendendo e acobertando os verdadeiros bandidos, e até aqueles que antes criticavam para se eleger!
    Veja as mais diversificadas formas de engodo: Pagamos impostos, para ter direito a Educação e Segurança; mas somos obrigados a conviver e confiar em gente hipócrita, mentirosa, oportunista e mesquinha, que manipula, compra, forja e distorce todos os tipos de pesquisas para se idolatrarem… Pouco, ou nada se importando com a Pátria, ou, com seu semelhante! Se não fosse desta maneira, há muito seriamos o País mais rico do planeta, em todos os sentidos! Existem desvios de verbas, que debilita e desacredita a educação estadual e municipal, e os políticos tiram vantagens desta situação; pois, tanto montam suas escolas, como tomam parte nos lucros de outras, induzindo os que têm melhor poder aquisitivo, a procurar escolas particulares! Desta maneira, a maioria sem poder aquisitivo, continuara mal formada, e mal informada como sempre foi! Bom esquema não é mesmo?
    E as estradas, que são privatizadas? Primeiro eles as constroem com verbas do IPVA e impostos do cidadão; depois eles as privatizam; ou seja, vendem, a eles mesmos por preços de bananas; colocam seus parentes e amigos para administrá-las, e boa parcela deste povo desinformado, nem percebe que esta pagando absurdos, para rodar nas mesmas estradas que foram construídas com seus impostos!
    E as empresas que foram privatizadas? Boa parte destas empresas estava sendo usadas como cabide de empregos, para dar bons salários e mordomias aos pelegos e parentes de políticos; desta maneira ficaram com rombos! Então os políticos usaram verbas dos nossos impostos para tapara estes rombos! Exemplo: gastaram valores equivalentes a preços de diamantes para tapar os rombos, e venderam estas empresas, a preço de casca de bananas: Mas tem um detalhe: Eles mesmos as compraram! E as empresas passaram a ter lucro! Esta é uma das formulas mirabolante de se tornar empresários genial, fazendeiros e milionários da noite párea o dia! Iguais a esta, existem milhares… Desde a falsa independência, até os dias de hoje, houve muitas formas de governos; só que as mentiras aumentaram e os cambalachos seguem a todo vapor; estamos feito os índios, que trocaram suas terras por badulaque! Por isso querem a população desinformada e inculta! Desta maneira, fica mais fácil tosquiá-los feito cordeiros, e os empurrar para os currais eleitorais! Por isso as cadeias estão superlotadas de gente pobre e analfabeta! E ainda dizem que cada preso, daqueles que estão embolados em pequenos cubículos, custa ao governo; ou seja, para o cidadão pagador de imposto, quatro mil e quinhentos reais! Mas eles sabem que muitos pais de família trabalham de sol a sol a troco de um salário mínimo de quinhentos e poucos reais! Isso quando consegue emprego: E é com este salário que o cidadão é obrigado a se manter e sustentar sua família! Estes nossos representantes políticos, superfaturam desde a construção do presídio até a estadia dos presos, e isso já vem de longa data! E a mídia vendida e sensacionalista, não deveria divulgar algo a este respeito? É simples: Tem muita gente obtendo vantagens, para distorcer fatos e acobertar maracutaias! E eu aqui falando bobagem! Mas eu insisto: será que uma faculdade em período integral custa tanto quanto a estadia do preso? Será que a cadeia é mais instrutiva que uma faculdade em período integral, senhores canalhas? E os “senhores onipotentes”, continuam fazendo suas turnês, à custa do sangue e suor deste povo cordeiro tosquiado, humilde e desinformado, que esta sendo mantido em currais eleitorais, “com os valores”, que os “senhores”, roubam dos aposentados, se passando por salvadores da pátria, não é mesmo? Se o italianinho continuar preso, ele terá mordomias e custara mais de quatro mil e quinhentos reais mensais aos pagadores de imposto; mas se for entregue a Itália, não haverá mais embaraço na relação Brasil Itália, e o bandido deixara de ser um peso aos cofres Públicos! Pois se não tem verbas para as necessidades básicas, como educação saúde e segurança; que a Itália e o bandido, resolvam seus problemas, lá deles, não é mesmo?

    Bandidos e oportunistas, no Brasil já têm demais!
    O texto é de minha autoria, mas pertence a toda “sociedade”, que precisa conhecer estes fatos!
    Quem sabe desta maneira, este povo não se deixe levar por promessas, que são cantadas em versos e prosas, nas vésperas de eleição!

  10. […] burgueses estão a apoiar e a apostar forte e feio no ladrão fascista que dá pelo nome de Paulinho das feiras e tramóias, do caso Moderna, do Ferrari, dos submarinos, dos documentos roubados, […]

  11. […] do poder e  fazer uma “carreira de sucesso”. Um filme que bem poderia ser sobre um génio da banalidade que faz pose por estas bandas. No canal Hollywood, nestes […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: